fbpx

A IMPORTÂNCIA DOS INDICADORES PARA A GESTÃO E TOMADA DE DECISÃO

A grande maioria dos escritórios e departamentos jurídicos utilizam indicadores de volumetria para quantificar a quantidade de atividades que estão sendo realizadas durante um determinado período, em conjunto com os indicadores estratégicos para avaliar o desempenho do negócio e identificar se as metas estão sendo atingidas.

A questão é que muitos escritórios ou departamentos jurídicos possuem uma quantidade considerável de volume de dados, mas muitos deles não sabem como transformar tais dados em informações relevantes para medir a produtividade da equipe, identificar se a equação volume x pessoa está em harmonia, avaliar se a estratégia adotada é a mais lucrativa ou se precisa de correções e como tudo isso afeta a performance de um modo geral do negócio.

Por muitas vezes também há outro complicador, a limitação do software de gestão o que impossibilita a extração destes dados o que afeta de forma direta e negativa a tomada de decisão.

TIPOS DE INDICADORES

Os KPI’s (Key Performance Indicator) ou Indicadores Chave de Desempenho são um grande alinhado do negócio, é uma forma de quantificar atividades realizadas em informações, por exemplo:

  • Tour-over da equipe;
  • Volume de entradas;
  • Volume de processos encerrados;
  • Volume de audiências;
  • Volume de peças produzidas;
  • Volume de processos ativos.

Mesmo sendo indicadores de volume observe que é possível realizar estratégia visando à redução de custo, por exemplo:

Volume de audiência: Identificar em quais regiões o volume é maior, qual o valor médio gasto com as contratações de correspondentes e com base nestas informações poderá ser feito uma proposta para grupo reduzido de correspondentes concentrando neles o volume principal e em consequência negociar um valor médio menor.

Por fim, todos acabam lucrando, o escritório que reduz seus custos e o correspondente que ganha no volume.

Há também o grupo de indicadores estratégicos onde são utilizados para medir o êxito do escritório e inclusive, poderão ser compartilhados com os clientes, por exemplo:

  • Resultados dos processos encerrados;
  • Acordos realizados por comarca;
  • Audiências x Resultados;
  • Resultados por comarca;
  • Resultados por comarca e juiz;
  • Resultado audiências por correspondentes.

Os exemplos acima auxiliarão na análise de performance, com estas informações será possível realizar correções ou mesmos pequenos ajustes para alcançar resultados melhores ou dependendo da comarca e o juiz, adotar estratégias diferentes com base nos resultados apresentados.

CONTRATOS

Da mesma forma que os indicadores dos litígios, é fundamental que o departamento jurídico tenha indicadores que quantifiquem, qualifiquem e organizem o volume de contratos da organização, por exemplo:

  • Identificar os prazos e vencimentos;
  • Quantidade de contratos ativos;
  • Valore médio;
  • Quais as naturezas dos contratos;
  • Centro de custo.

Estas informações são importantes para que os responsáveis possam quantificar o desempenho do departamento levando em consideração o valor investido, além de evitar falhas contratuais de uma maneira geral.

O GR5 SIMPLIFICA A OBTENÇÃO DOS INDICADORES E A SUA GESTÃO

Com o GR5 será possível transformar informações em indicadores utilizando o BI (Business Intelligence), seja de volume, performance ou estratégico.

Os indicadores poderão ser construídos em forma de dashboard, ou seja, será possível criar um ou mais painéis gráficos que permitirão a gestão visual.

Com isto a gestão do escritório ou departamento jurídico será simplificada porque não haverá a necessidade de extrair relatórios para visualizar os resultados, ademais, será possível inserir num painel existente outros gráficos, modificar, excluir ou mesmo compartilhar com a equipe este painel.

Em resumo o GR5 transformar dados em indicadores de fácil leitura e interpretação.